Retroceder

Asma em crianças

Atualização: Dezembro de 2018

Infeções frequentes do trato respiratório, ataques de tosse noturnos, problemas respiratórios quando anda ou brinca ao ar livre - se o seu filho ou filha não se sentir bem, é natural que os pais queiram fazer tudo o que podem para ajudar. Um diagnóstico inicial de “asma brônquica" levanta muitas questões. Provavelmente, está à procura das melhores formas de ajudar o seu filho.

A asma brônquica é a doença crónica mais comum nas crianças - afeta aproximadamente uma em cada dez crianças. Contudo, o prognóstico de recuperação é muito bom em crianças. Até pelo menos à puberdade, mais de metade das crianças não apresentam sintomas.

Um diagnóstico precoce conjugado com um tratamento adequado e formação de pais e crianças na gestão dos sintomas permitem à criança controlar a asma e viver uma infância despreocupada.

Causas da asma na criança

É feita uma distinção entre asma alérgica e não-alérgica com base no que a desencadeia; a asma nas crianças está muito frequentemente relacionada com as alergias.

Na asma alérgica, os sintomas são desencadeados por substâncias às quais a criança tem reação alérgica como, por exemplo, pelo de animais ou pólen.

A asma não-alérgica é causada por estímulos ambientais. Estes estímulos podem ser infeções do trato respiratório ou certos irritantes, tais como poluentes e odores fortes domésticos e de ar livre.

Há também um componente genético, ou seja, a predisposição hereditária de ter pais com alergias ou doenças do trato respiratório tem um papel importante no desenvolvimento da asma na criança.

Sintomas da asma na criança

Entre os sinais típicos da asma na criança contam-se tosse intermitente frequente, sibilância ou pieira na respiração, falta de ar, congestão no peito, ou aperto ou dores no peito. Os sintomas podem ocorrer em diferentes intervalos de tempo e com diferentes níveis de intensidade.

Sons respiratórios da criança com asma

Uma indicação típica da asma em bebés e crianças é a sibilância (vulgarmente “gatinhos") na respiração. Para além disso, a criança pode ter um aspeto saudável. A sibilância intensifica-se durante o exercício físico ou a prática de desportos, assim como com riso ou choro intensos.

A tosse como sintoma da asma na criança

Outro sintoma comum é uma tosse seca, que aumenta à noite. Tal como os sons respiratórios, a tosse ocorre com maior intensidade durante o exercício físico, o riso e o choro.

Desconforto na respiração

Um ataque de asma agudo pode levar a desconforto na respiração. Em bebés e crianças, o desconforto respiratório é indicado pelas narinas que tremem de forma significativa ao respirar. Há também uma forte contração dos músculos abaixo do arco torácico, entre as costelas ou na clavícula. Para além disso, as unhas e os lábios ficam azulados.

As crianças de maior idade compreendem que a respiração torna-se difícil. Param de brincar, sentam-se e apoiam a cabeça nas mãos para ajudar a respirar mais facilmente.

Sintomas adicionais

A asma pode também estar acompanhada de sintomas atípicos, tais como constipações frequentes, dor abdominal, perda de apetite, pouca vontade de beber ou fadiga generalizada.

Diagnóstico da asma na criança

O diagnóstico preciso é feito após exames aos pulmões. Nem todos os métodos para determinar a função pulmonar são adequados para as crianças. Os bebés podem ser examinados em clínicas especializadas. A partir dos quatro anos de idade, a função pulmonar das crianças pode ser determinada através de espirometria, que é um teste para determinar quanto a criança consegue inspirar e expirar.

Se se suspeitar de ligação a alguma alergia, é realizado um teste às alergias (análise ao sangue e/ou prova cutânea subsequente).

Tratamento da asma

Como a asma na criança é crónica, o principal objetivo da terapia é controlar os sintomas para que a criança se possa desenvolver livremente.

O tratamento consiste de várias ações. Para além de tomar a medicação, a criança também deve evitar os fatores que desencadeiam os ataques de asma (caso sejam conhecidos).

A hipossensibilização, também denominada imunoterapia específica com extratos alergénicos, pode ser efetuada para diminuir a sensibilidade a esses fatores. Esta ação implica a exposição da criança a quantidades cada vez maiores de extratos alergénicos, numa tentativa de alterar a resposta do sistema imunitário. A hipossensibilização pode ser promissora, caso tenha sido possível determinar os estímulos que desencadeiam os ataques e caso o número de estímulos não seja muito elevado.

Como medida suplementar, os pais também podem incentivar a criança a fazer exercício físico e a praticar desportos. Durante a prática desportiva, os brônquios expandem, o fornecimento de oxigénio aumenta e os músculos respiratórios fortalecem. Fale com o pediatra para saber qual o tipo de exercício mais adequado para a criança.

Por vezes, uma alteração climática ou permanecer numa região onde haja menos alergénios pode ajudar.

É vivamente recomendado participar nas ações de formação para pacientes, idealmente em conjunto com a criança. Também há sessões de formação para crianças pequenas, nas quais podem aprender de forma divertida o que acontece ao corpo humano e como funciona a medicação. Estas sessões fazem com que ganhem autoconfiança e aprendam a lidar melhor com os sintomas. Aprendem que há muitas crianças na mesma situação e que não devem sentir vergonha de usarem a medicação quando precisarem na presença de amigos e colegas.

Terapia para a asma com medicação

A medicação usada para tratamento da asma na criança pode ser dividida em dois grupos. A medicação de longo prazo que tem um efeito preventivo, muitas vezes denominada “de controlo". Os glucocorticoides são um método de tratamento com efeito a longo prazo. Inibem a disposição dos brônquios às inflamações e são administrados preferencialmente por inalação, para que a dose atinja o trato respiratório mais rapidamente.

Em caso de ataque de asma agudo, está disponível medicação de alívio. Existe também a medicação “de alívio". O seu objetivo é dilatar os brônquios o mais rápido possível para permitir de novo a passagem do ar.

Prevenção da asma na criança

A medida mais importante na prevenção dos sintomas é evitar os fatores que possam desencadear um ataque de asma. A prevenção só é possível se os alergénios e/ou irritantes forem conhecidos. Para além disso, o tratamento de longo prazo com medicação de prevenção tem também um efeito anti-inflamatório e preventivo.


Referências:

GFMK GmbH & Co. KG. Asthma in children. Consultado em www.kinder-asthma.com

German Society for Pulmonology and Respiratory Medicine. How common is childhood asthma? Consultado em www.lungenaerzte-im-netz.de/krankheiten/asthma-bronchiale/was-ist-asthma/

German Society for Pulmonology and Respiratory Medicine. How common is childhood asthma? Consultado em www.lungenaerzte-im-netz.de/krankheiten/asthma-bei-kindern/wie-haeufig-ist-asthma-bei-kindern/

Helmholtz Zentrum München (2018). How frequent is asthma? Consultado em www.lungeninformationsdienst.de/krankheiten/asthma/verbreitung/index.html

Helmholtz Zentrum München (2018). How is asthma treated? Consultado em www.lungeninformationsdienst.de/krankheiten/asthma/therapien/index.html